quinta-feira, 31 de março de 2011

Arroz


Apartir do arroz simples pode fazer todos os outros.
Arroz de tomate, cenoura, brócolos, pimentos, coentros ou simplesmente adicionar-lhe alho, louro, cebola, estrelas de anis, etc.

P/ 4 pessoas
2 copos de arroz
4 copos de água
azeite
sal
se for de tomate 2 ou 3 maduros cortados finamente
de cenoura 3 ou 4 cortadas em bocados pequenos ou às rodelas
uma mão cheia de coentros
se for com a estrela de anis, basta adicionar 1 ou 2

Numa panela coloque o azeite. Adicione o arroz e deixe fritar um pouco. Se quiser adicionar algum ingrediente esta será a altura certa. Acrescente a água e o sal.
Depois de cozer mexa e fica mais uns minutos. Desligue feche a tampa da panela e deixe repousar.

Pão com goji e linhaça

Este pão saiu da minha cozinha hoje pela manhã. A Ri e o Ti levaram-no nos seus lanchinhos. Mais uma receita a repetir.
P/ um pão de 1kg
415 ml de água
4 tbsp de azeite
1 tsp de sal
1 tbsp de açúcar escuro
2 tbsp de leite em pó
1 vitamina C
680g de farinha (Lidl)
1 saqueta de fermento fermipan e uma tbsp de fermento para bolos
1 tbsp de goji
1 tbsp de sementes de linhaça
Colocar exactamente por esta ordem os ingredientes na cuba da máquina de fazer pão (MFP).
As sementes colocar no depósito próprio para elas, caso a sua máquina de fazer pão (MFP) não tenha, terá que colocar a meio da confecção.
Bom apetite!

Arroz com estrela de anís


Este arroz é feito com alguma frequência por estas bandas.
Deixa um perfume pela casa e sabe muito bem, fugimos assim ao tradicional arroz simples.
Acompanha carne, peixe e salgadinhos.
2 copos de arroz agulha
4 copos de água (por vezes ponho só 3 e meio)
2 flôr de anis
sal q.b.
Numa panela coloque o azeite, acrescente o arroz e deixe fritar por uns instantes.
Adicione a água e as flores de anis deixe cozer.
Aqui apetecia-me dizer até ficar "al dente", mas esta expressão não se aplica ao arroz, há que ter alguma sensibilidade para não ficar género papa ou demasiadamente mal cozido.
Bom apetite!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Pão de cereais

Pão de cereais
Ontem o meu pão ficou óptimo (melhor ainda que o habitual).
Estava estaladiço por fora e a sua textura por dentro fofa e consistente.
Usei:
P/ um pão de 1kg
415 ml de água
4 tsp de azeite
1 tsp de sal
1 tbsp de açucar escuro
2 tbsp de leite em pó
1 vitamina C
680g de farinha (Lidl)

Usei várias farinhas que tinha e ainda acrescentei uma mão cheia de várias sementes
1 saqueta de fermento fermipan e uma tbsp de fermento para bolos
Colocar exactamente por esta ordem os ingredientes na cuba da máquina de fazer pão (MFP).
Na máquina programei para ficar mais tostado por fora.

Ovos, cogumelos, fiambre com arroz de pimentos


Uma refeição saborosa e rápida com tudo.
Para 4 pessoas:
5 ovos
leite q.b.
coentros uma mão cheia
200 gr de fiambre
4 dentes de alho
2 latas pequenas de cogumelos (pode usar os frescos)
meio copo de vinho (habitualmente uso o branco mas desta vez foi tinto)
Para o arroz
2 copos de arroz agulha
metade de 1 pimeto vermelho
metade de 1 pimento verde

Coloque o azeite e o arroz numa panela deixe fritar uns instantes. Acrescente a água, o sal e os pimentos cortados. Deixe cozer.
Numa frigideira coloque o azeite e os dentes de alho, deixe fritar. Acrescente os cogumelos (bem escorridos) e o vinho e deixe ao lume até este evaporar por completo. De seguida acrescente o fiambre cortado e os coentros, tempere com sal e pimenta preta.
À parte bata os ovos com um pouco de leite.
Envolva-os com cogumelos e o fiambre.
Por fim polvilhe com mais um pouco de coentros e sirva com o arroz de pimentos.
Bom apetite!

terça-feira, 29 de março de 2011

Tarte II



Adoro tartes!
Nem sei se gosto mais de fazê-las se de as comer...
E já tenho uma seguidora - a Ri.
Também ela adora fazer a massa, colocá-la na tarteira, recheá-la e por fim comê-la.
Quase sempre fazemos duas, assim aproveitamos o calor do forno e podemos cada uma, dar asas à sua imaginação, assim como o To e o Ti podem comer até rebentar, pois andam cá umas "frieiras".
Desta vez fizémos uma de cogumelos e fiambre e outra de alho francês, tomate e fiambre.
Ambas esquecemos os oregãos, que pessoalmente gosto muito.
A massa:
200 gr de farinha sem fermento
150 gr de manteiga/margarina
1 ovo
1 pitada de sal

Para o recheio:
1ª tarte
1 alho francês grande
2 tomates maduros
150/200 gr de fiambre
2ª tarte
1 lata de cogumelos
200 gr de fiambre

Para a cobertura:
3 ovos
1 pacote de natas
leite q.b. ou 1 iogurte ou ainda uma mozzarella
sal, pimenta preta, piri-piri, noz moscada, oregãos

Faça a massa e coloque-a na tarteira.
Recheie a tarte com os ingredientes ou com outros da sua preferência, faça ou não refogados, pode usar os ingredientes crus.
Misture a cobertura, tendo por base os 3 ovos e o pacote de natas, acrescente ou não o leite, a mozzarella ou o iogurte. Tempere como mais gostar.
Leve ao forno pré-aquecido a 180º C, cerca de 15 a 20 minutos ou até a(s) tarte(s) estarem douradas.
Sirva acompanhado com uma salada.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Refeições rápidas para dias difíceis

 








Refeições rápidas para dias difíceis

Há dias difíceis mas temos soluções fáceis e saborosas, que nos confortam e nos fazem tudo parecer mais fácil.
Há dias em que tudo se complica ou nós complicamos tudo... há que respirar, parar 1 segundo, voltar a respirar e cá estamos nós "reiniciados", mudamos de "modo" quase como se "clicássemos" no botão certo.
A vida é um jogo e nós comandamo-la, mas por vezes temos percursos complicados, nesse momento mudem de "modo", de "nível" ou "reiniciem".
Num destes dias em que quase perdi o comando do "navio", quando consegui voltar a pegar no "leme", que a "tempestade" me havia retirado por instantes... entrei pela cozinha adentro e fiz estas saladinhas rápidas, sim, porque depois da tempestade vem a bonança.
Peguei numas latas de atum, grão cozido, milho doce, pikles, maionaise caseira, sumo de lima e cozi uns ovos, não tinha coentros (os meu terraço tinham acabado e os que lá estão ainda não cresceram o suficiente).
Numa taça coloquei o grão, o atum, o milho e os pikles cortados finamente, misturei. Temperei com sal, pimenta preta e sumo de lima, acrescentei um pouco de piri-piri.
À parte cozi os ovos e fiz a maionaise.
Para a maionaise usei - não sei as quantidades pois faço sempre a olho, prometo para a próxima colocar as mesmas - 2 ovos, azeite, óleo e limão. Temperei com sal e pimenta preta.
Servi os pratos com a salada, acrescentei a maionese, o ovo cozido e moí mais um pouco de pimenta preta.
Para a sobremesa, cortei uns deliciosos morangos, reguei-os com sumo de limão e acrescentei umas colheradas de açúcar amarelo, para finalizar o toque da minha hortelã finamente picada.
Simples, rápido e por momentos esquecemos o quão difícil foi o nosso dia.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Bolo de bolacha

A ler o "Feito em Casa" da Joana Roque do blog http://paracozinhar.blogspot.com/, que sigo diariamente com imenso prazer - identifico-me em tantas coisas que por vezes sinto que fui eu a escrever aquela publicação ou aquele livro - encontrei uma receita que há muito não se fazia por estas bandas e que já sentia aquela nostalgia gustativa das memórias de infância:
O "lendário" bolo de bolacha.
Acho que não conheço ninguém da minha geração que não saiba do que estou a falar.
As nossas mães, tias, avós faziam-no com alguma frequência quando erámos "piquenos" (não, não me enganei, lembrei-me da minha Tia Nim a falar de nós - os "piquenos".
Gosto deste bolo feito em casa, gosto particularmente daquele sabor caseiro do creme de manteiga com café. Desculpem-me a franqueza mas o que vemos habitualmente à venda e me deixa logo "mal disposta", aqueles com um creme branco (em vez do amarelado), industrialmente feitos sem aquele sabor nostálgico.
Simplesmente repugna-me!
A sua confecção é tão simples que se tiver crianças, elas adoraram participar nesta receita, assim perpetuará desde já a história deste famoso bolo.

2 pacotes de bolacha Maria
1 café bem forte
Mistura solúvel de café q.b.
250 ml de água
250 gr de manteiga sem sal à temperatura ambiente (nada de derreter no microondas)
250 gr de açúcar amarelo ou em pó
raspas de chocolate
Coloque a manteiga, o açúcar e o café forte na batedeira e deixe até obter uma massa homogénea.
Faça o café solúvel e coloque-o num prato. Mergulhe as bolachas no café e distribua-as num prato onde vai servir o bolo. Comece por colocar uma bolacha no centro e depois mais 6 bolachas à sua volta.
Barre uma com o creme de manteiga cada camada.
Repita até acabar as bolachas.
Por fim barre o topo e as laterais do bolo com creme de manteiga.
Rale o chocolate para decorar e deixe ficar no frigorífico pelo menos 2 horas. (de preferência de um dia para o outro)
Os miúdos ajudaram na confecção e a deglutir.
Mais uma receita fácil e rápida.

Farinheira com ovos mexidos e iogurte - II

Mais uma entrada inventada por mim.
A textura ficou cremosa, bem diferente da tradicional farinheira com ovos mexidos.
A repetir.
2 farinheiras
3 ou 4 maçãs
5 ovos
1 iogurte natural
leite q.b.
2 piri-piris
2 colheres de sopa de mel
uma mão cheia de coentros
Numa frigideira, coloque as farinheiras, as maçãs cortadas finamente e os piri-piris, deixe ficar ao lume até a farinheira alourar.
À parte bata os ovos com o iogurte e o leite, acrescente à farinheira. Adicione os coentros cortados e o mel e deixe cozinhar sem parar de mexer. Sirva de imediato acompanhado de tostas, broa ou pão.

Alheira com maçã e mel

Num destes dias, voltei a um restaurante no Sobral de Monte Agraço, as entradas são divinais. Sugeriram-me uma alheira com maçã, provei e adorei.
No caminho para casa, só imaginava este prato servido a amigos e família.
Já aqui publiquei a farinheira com ovos mexidos, agora passo-vos esta iguaria fácil de fazer (não me deram a receita, limitei-me a inventá-la, tento por base aquela memória gustativa). Porque não este fim-de-semana?
1 alheira
2 maçãs
1 piri-piri
2 colheres de sopa de mel
Numa frigideira, coloque a alheira sem a pele, acrescente as maçãs cortadas finamente e o piri-piri, frite até alheira ficar dourada. Já com o lume desligado, acrescente o mel e misture. Sirva de imediato acompanhado com broa de milho ou outro pão da sua preferência.