sábado, 30 de outubro de 2010

Spaghetti à bolonhesa

Um dos pratos preferidos cá em casa.
O Ti adora e andava a pedir há algum tempo, esse prato e a Lasanha que havia comido na escola e queria que fizesse cá em casa.
Mas ontem fui à inauguração do espaço de uma amiga e quando cheguei já não tinha tempo para a Lasanha e acabei por fazer o Spagheti à bolonhesa.
Habitualmente uso metade de carne (vaca ou porco) e soja granulada, esta última acrescento-lhe um caldo de carne e água a ferver.
Mas ontem acabei por fazer só com a carne de vaca picada.

Spaghetti à bolonhesa
P/ 4 pessoas
(quando uso a soja granulada coloco 500 gr de carne e 200gr de soja que adiciono água a ferver com um caldo de carne)
700 gr de carne vaca picada (costumo pedir no talho para picar 2 vezes)
1 cebola
6 dentes de alho
oregãos q.b.
2 píri-píris
Pollpa de tomate
queijo ralado (parmesão ou outro) q.b.
500gr de esparghete

Pico a cebola com o alho na picadora.
Numa frigideira ponho azeite e adiciono a cebola e o alho picado (fica uma massa) deixo refogar um pouco.
De seguida coloco a carne e tempero com sal, pimenta preta moída na altura e o píri-píri.
Deixo até a carne estar frita. Por fim adiciono os oregãos (bastantes) e a polpa de tomate. Fica por mais uns instantes.
O esparghete tem que ficar al dente, isto quer dizer que o esparguete está cozido quando, na prova, a massa oferecer firmeza aos dentes, mas sem o núcleo interior estar duro. Diz-se então que a cozedura está al dente (ao dente).
Coloque a ferver a água com sal e um pouco de azeite. Quando ferver coloque o esparghete, deixe ferver até ficar "al dente" - há uma maneira simples de testar - atirando um esparghete contra a parede e se este ficar lá colado está pronto. Escorra a água e passe por água fria para parar a cozedura, adicione um fio de azeite.

Sirva colocando primeiro o esparghete, depois a carne e por fim polvilhe com queijo ralado.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ovos mexidos com cogumelos, tomate, coentros e mozarela

Ovos mexidos com cogumelos, tomate, coentros e mozarela
P/ 4 pessoas
6 ovos
2 latas pequenas de cogumelos laminados ou cogumelos frescos
4 tomates frescos
1 mão cheia de tomate seco
2 dentes de alho
1 pirí piri
1 mozarela
1 mão cheia de coentros frescos

Para o feijão aromatizado com pétalas de rosa
1 lata grande feijão vermelho escorrido
4/5 dentes de alho picado finamente
azeite q.b.
sal com pétalas de rosas moído

O jantar ontem foi só inventar. Apetecia-me ovos. Abri o armário despensa e vi cogumelos e feijão vermelho.
Abri o frigorífico e retirei ovos, tomate, mozarela e coentros.
Abri a lata do feijão vermelho e escorri, deitei-o numa taça, cortei 3 dentes de alho (picado fininho), piri-piri e temperei com azeite e sal aromatizado com pétalas de rosas. Levei-o ao micro ondas alguns minutos.
Numa frigideira coloquei azeite 2 dentes de alho e 4 tomates frescos e uma mão cheia de tomate seco. deixei refogar. E adicionei os cogumelos.
Entretanto bati os ovos e temperei-os com um pouco de piri-piri em pó e sal.
Piquei os coentros e reservei.
Deitei os ovos na frigideira, a mozarela e os coentros. Deixei ao lume mais alguns minutos até o ovo ficar cozido.
Servi acompanhado do feijão vermelho e do meu pão de cereais que ontem estava ainda melhor do que o habitual.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Tarte de limão merengada

Tarte de limão merengada
P/ a massa quebrada:
250 gr de farinha
125 gr de manteiga
sal q.b.

P/ o recheio:
3 ovos
1 chávena de açúcar
3 limões
1 colher de sopa de maizena
2 colheres de sopa de manteiga

Preparar a massa juntando todos os ingredientes. Forrar a tarteira bem untada.
Pica-se a massa com ajuda de um garfo e coze em forno médio cerca de 10 m.
Prepara-se o creme misturando 3/4 do açúcar com a maizena. Desfaz-se em meia chávena de água fria e junta-se 1 chávena de água a ferver. Vai ao lume cerca de 5 m mexendo sempre. Raspa-se a casca de 2 limões, junta-se o sumo dos 3 limões e coze 2 m mexendo sempre.
Juntar as gemas e coze mais 2 m. Por fim acrescenta-se a manteiga e deita-se na tarteira.
Bate-se as claras em castelo com o restante açúcar e um pouco de sal.
Deita-se as claras por cima do recheio e vai ao forno muito fraco até as claras ficarem loura (deixe a porta do forno entre-aberta).

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pão na MFP

Pão na MFP
P/ um pão de 1kg
415 ml de água
30g manteiga
2 tsp de sal
1 tbsp de açucar
2 tbsp de leite em pó
1 vitamina C
680g de farinha (400 de farinha do Lidl (qualquer uma para fazer pão) + 280g de farinha branca, de milho ou aveia)
1 saqueta e meia de fermento fermipan ou outra

Colocar exactamente por esta ordem os ingredientes na cuba da máquina de fazer pão (MFP).
Programe a hora que quer o pão feito. Pode adicionar sementes de séssamo, amêndoas, nozes, chouriço, azeitonas e oregãos, etc. 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Pudim Flan à minha maneira



Pudim Flan à minha maneira

1 lata de leite condensado
a mesma medida de leite
6 ovos
caramelo liquido q.b. (comprei no supermercado e usei metade da garrafa)

Mistura-se o leite condensado com o leite e os ovos. Bate-se bem.
Numa forma de pudim põe-se o caramelo liquido deita-se lá para dentro a mistura anterior.
Vai ao forno aquecido em banho maria cerca de 30/40 m em forno pré-aquecido e a 200ºC.
Desenforma-se com cuidado, pois o caramelo está líquido e pode queimar - esta operação tem que ser feita muito rapidamente.
Serve-se frio.

domingo, 24 de outubro de 2010

Secretos de porco grelhados

Secretos de Porco Grelhados

Aqui vai uma receita bem simples e saborosa.
Secretos de porco
sal q.b.
piri-piri q.b

Num grelhador eléctico depois de aquecido colocar a carne, temperar a gosto.
Servir acompanhada de batatas fritas e uma salada.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Aproveitamento de sobras



Aproveitamento de sobras


No frigorífico havia um resto de macarão e fiambre com cogumelos e natas.

Numa frigideira coloquei azeite um pouco de alho, o macarrão e o fiambre com cogumelos e natas. Acrescentei 3 tomates, um mão cheia de coentros, azeitonas q.b. e ainda 3 ovos, uma gema (que me tinha sobrado da pata roxa, pois só tinha usado a clara) e um pouco de leite. Mexi tudo adicionei um pouco de piri-iri - ficou divinal.
Servi com o meu pão.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Bochechas de porco com arroz

Bochechas de Porco com arroz

1kg de bochechas de porco
1 cebola média
3 dentes de alho
1 folha de louro
vinho tinto q.b.
1 piri-piri

Numa panela de pressão coloca-se o azeite, a cebola, os dentes de alho. De seguida as bochechas e tempera-se com sal, píri-piri, a folha de louro e o vinho tinto.
Fecha-se a panela de pressão e quando esta levantar fervura fica cerca de 20 m. As bochechas ganham a cor do vinho tinto e ficam tão tenras. O desafio que habitualmente lançamos cá em casa é descobrir que carne é e qual a parte da peça desta. (a cor engana e a textura - muitos dizem ser vitela)
À parte faça um arroz.
Servido com um vinho tinto alentejano é demias. E ao som de um bom jazz...
(Sandra D. esta é especialmente para ti - Que saudades Amiga!)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Pato com arroz e chouriço

Pato com arroz e chouriço
1 pato
1 cebola
2 dentes de alho
Pimenta preta em grão q.b.
1 caldo knorr
1 folha de louro
2 chouriços correntes
2 copos de arroz
1 limão só o sumo
1 colher de sobremesa de manteiga

Ainda na saga das promoções, trouxe este pato do supermercado.
E cozi-o com pimenta preta em grão, uma cebola, 2 dentes de alho, 1 caldo knorr de galinha, 1 folha de louro e um pouco de água. Usei uma panela de pressão.
Depois de cozer 20 m, retirei o pato e os chouriços. Usei a água para fazer o arroz, adicionei-lhe o sumo do limão e uma colher de sobremesa de manteiga. Antes de terminar a cozedura do arroz, deite-o num pirex de ir ao forno e coloquei por cima o pato inteiro. Distribui os chouriços por cima do arroz e coloquei o pirex no forno a 250º C com a parte de cima do forno (a de gratinar) ligada - ficou 10 m.
Servi com uma salada de alface temperada com gengibre ralado e vinagre de framboesa.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Supremos de pescada com batata doce


Receita super rápida e deliciosa. Aproveitei algumas promoções que os hiper andam a fazer - os supremos estavam a menos 60% e batata doce estava a um preço bem acessível.
Coza os supremos de pescada (ou qualquer peixe) com um pouco de sal.
Lave bem as batatas e pique-as com um garfo.
Coloque-as num prato e vai ao micro-ondas cerca de 15 m em temperatura máxima.
Sirva regado de azeite (acrescentei o meu aromatizado com oregãos) e com uma salada de tomate com coentros e mozarela.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Charlote Russa (Avô Helena)






Charlote Russa (Avô Helena)

12 ovos
250 gr de açúcar
400 gr de palitos de la reine
1 pau de baunilha
12 folhas de gelatina incolor
1 litro de leite

Batem-se as gemas com o açúcar e a baunilha (bem batidas).
Quando fizer bolhas junta-se-lhe o leite pouco a pouco mexendo sempre. Leva-se ao lume e mexe-se sempre até ferver. Durante a estada no lume põe-se a gelatina aos bocados. Quando ferver deixa-se só mais 1 minuto mexendo sempre e retira-se em seguida.
Deixa-se ficar morno, quase frio.
Batem-se as claras em castelo e põem-se dentro do creme dando uma volta levemente e tira-se o pau da baunilha.
Numa forma lisa, (grande) sem buraco  forra-se com palitos de "La Reine" (com a parte de fora de encontro à forma). Põem-se palitos no fundo e deita-se o creme dentro.
Forra-se com palitos por cima a tapar o creme.
Vai para o frigorífico
Desenforma-se quando estiver fria.

Como a minha mãe fez anos este mês e estava cheia de saudades deste doce, que a minha avô Helena fazia em todos os seus aniversários - resolvi aventurar-me e fazê-lo pela primeira vez (depois de uma intensa busca entre livros de culinária antigos e perguntas à família). A surpresa foi simpática, mas a qualidade dos palitos de la Reine que se encontram hoje em dia no mercado, não proporcionou "matar"/colmatar aquela saudade de outros tempos, assim como a mão "mágica" que a minha avô tinha para confeccionar maravilhosas iguarias intensas de sabores e ainda lembranças de cheiros de outras épocas que tanta saudade tenho assim como maravilhosas recordações.

sábado, 16 de outubro de 2010

Lombo de porco recheado com farinheira e coberto com mel













Lombo de porco recheado com farinheira e coberto com mel

1 lombo de porco com cerca de 2 kg
2 farinheiras
1 cebola grande
6 dentes de alho
2 piri-piris
vinho tinto q.b.
1 folha de louro
pimentão doce q.b.
mel

De véspera deixei o lombo a marinar em vinha de alhos (vinho do vizinho do Tio T. e Tia V.).
Num pirex coloquei azeite, cebola, louro, piri-piris e os alhos da marinada. O Lombo depois de o rechear com as farinheira (no talho pedi para fazerem um furo a meio da peça de carne), deitei-o nesta cama e acrescentei o vinho onde este tinha estado toda a noite. Adicionei um pouco de pimentão doce, sal e pimenta preta. Com o forno já pré-aquecido coloquei o lombo neste, cerca de 50 m a 1 h (vou regando-o com o próprio molho). Por fim acrescento mel e fica no forno mais uns 10 m.
Acompanhei com umas batatinhas assadas e salada de tomate cherry e alface regada com tangerina, vinagre de framboesa e com raspa de gengibre. Ainda para quem quis, o meu doce de melão com gengibre e amêndoas, acompanhou este prato maravilhosamente.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Feijão branco com toucinho em vinho




Feijão branco com toucinho em vinho

1 lata grande de feijão branco
1 folha de louro
toucinho em vinho q.b.
1 chouriço corrente
4 cenouras
1 cebola
piri-piri


Num tacho coloque o azeite e a cebola, deixe alourar um pouco.

Acrescente o toucinho, o chouriço e a folha de louro. (o toucinho em vinho e uns chouriços de cebola (são uma delícia) foram-nos dados por uns amigos de Ponte de Lima)

Corte a cenoura em rodelas e adicione. Por fim acrescente o feijão e o piri-piri. (não pôr sal o toucinho e chouriço já são demasiadamente salgados). Tape o tacho e deixe cozinhar em lume brando.

Sirva com um arroz branco.

domingo, 10 de outubro de 2010

Bolo 4 quartos - Tia Nim


















Com tanta chuva, apetece aquelas comidas quentes, como sopa de grão ou feijão com couves, pratos suculentos e chás com bolinhos.

Nesta senda e com uma receita antiga e simples fiz um bolo de laranja e maçã com canela. A minha Tia Nim chamava o bolo 4 quatos e fazia-o com frequência, mudando o seu paladar consoante os ingredientes que tinha ao dispôr.

Usei um forma rectangular.

-4 ovos (+/- 250 gr)
- o peso dos ovos de açúcar amarelo
- metado do peso dos ovos em farinha
- 3 laranjas - apenas o sumo
- 3 maçãs
- canela q.b.

Untei a forma com manteiga.

Bati as gemas com o açúcar e adicionei o sumo de laranja, as maçãs cortadas em pedaços pequenos, a farinha, um pouco de fermento e canela q.b..

Bati as claras em castelo e envolvi no restante preparado.

Foi ao forno aquecido cerca de 20 m.

sábado, 9 de outubro de 2010

Doce de tomate e doce de melão com gengibre e amêndoas





Doce de tomate e doce de melão com gengibre e amêndoas




Este ano a quinta dos tios T. e V. encheu-se de tomates. Apanhámos tantos que já nem sabiámos o que fazer com eles.

Alguns congelei para confeccionar pratos e outros foram saladas e deliciosas refeições.

E finalmente e antes que se estragassem - fiz este doce de tomate.

Pelei os tomates e retirei as grainhas e espremi-os um pouco.

Consegui cerca de 2 k de tomate.

Numa panela coloquei o tomate e 1k de açúcar e um pau de canela, deixei ao lume até obter o ponto estrada (colocar um pouco do doce numa tábua de cozinha e fazer uma estrada (com o dedo dividir ao meio), se não se voltar a juntar - obeteve o ponto estrada et voilá!)

Com a varinha mágica desfaz-se até ficar puré. (antes retire o pau de canela)

Estrelizei os frascos e coloquei dentro deles, o doce. Virei-os ao contrário para criar vácuo.

O doce de melão e gengibre com amêndoas foi feito da mesma forma, a única alteração foi o açúcar que utilizei: o amarelo. Para 2 k de melão usei 1,5 k de açúcar amarelo.

Coloquei numa panela o melão o açúcar e o gengibre.

Permaneceu ao lume até obter o ponto estrada.

Usei a varinha mágica para desfazer o melão e o gengibre (este último, é mais díficil de desfazer) e no fim acrescentei as amêndoas laminadas. O aspecto fica formidável assim como o sabor.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Bacalhau à brás



Um dia destes descobri que tinha um pacote de batata palha no armário/despensa.

Comecei logo a imaginar o que fazer com elas.

Como tinha bacalhau congelado, lembrei-me logo deste prato que tanto gosto:

Bacalhau à brás

P/ 6 pessoas:

1,5 de bacalhau
1 pacote batata palha
6 ovos
1 mão cheia de salsa
1 cebola

Numa frigideira grande (utilizei o wook), coloquei azeite e a cebola (da quinta dos tios T. e V. - uma delícia), deixei refogar um pouco até alourar.
O bacalhau depois de cozido é-lhe retirada a pele e as espinhas.
Acrescentei ao preparado o bacalhau e as batatas palha, temperei com um pimenta preta.
Por fim acrescentei os ovos batidos e a salsa picada.
Pode pôr azeitonas.
Ficou uma delícia!

Pata Roxa com arroz de tomate e coentros e ainda os figados deste pequeno tubarão como patê



Cá estou eu depois de uma longa ausência, entre férias e começo de ano lectivo - tem sido complicado passar por aqui.

Ontem fiz um jantar muito apreciado cá em casa.

Pata Roxa!

É um pequeno tubarão muito saboroso.

Costumo comprá-lo na praça.

Para confeccionar este prato precisamos: (para 4 pessoas)
- 3 patas roxas
- 1 ovo - só a clara
- farinha q.b.

Para o arroz:
- 3 tomates
- 1 cebola
- 1 mão cheia de coentros
- arroz 2 copos
Para o patê:
- os fígados da pata roxa
- 3 dentes de alho

Bata a clara (só um pouco), tempere a pata roxa com sal grosso e coloque num prato a farinha.

Passe o tubarão pela clara do ovo e de seguida pela farinha, por fim leve a fritar em óleo bem quente.

Entretanto coloque azeite numa panela, a cebola picada miudamente e refogue. Adicione o tomate cortado, deixe alourar tudo um pouco. Acrescente 2 copos de arroz e os coentros picados. Não esqueça o sal. Acrescente 4 copos de água e deixe cozinhar.

Para o patê vai precisar de uma panela pequena onde coloca um pouco de azeite os dentes de alho que deixa aquecer um pouco. Coloca os fígados (pode acrescentar louro) e vai mexendo. Os fígados ficam desfeitos.

É um petisco muito saboroso - serve-se como entrada acompanhado de pão - o seu sabor é forte.
Sirva com um vinho branco.

Bom apetite!